Com certeza, que a vida é um sopro. E quando menos se espera, assim como aconteceu com o intérprete do Louro José, é hora de você deixar esse mundo.  Ninguém tem a mínima ideia de quando partirá.

Por outro lado, aquela pessoa com quem a gente conta todos os dias é que pode não estar mais aqui, amanhã. Quem sabe um amigo querido ou um parente importante.

O fato é que a vida é frágil. Assim, a gente sobrevive a cada vez que respira. Repare, a morte é a ausência de esforço. Há muita energia envolvida na vida.

Cada vez que o sol se põe é mais um dia que a gente sobreviveu, mas tudo pode acabar no próximo amanhecer. Talvez você durma hoje e não acorde amanhã. Sim, é assustador pensar nisso, mas necessário.

Por isso, não guarde mágoas, principalmente das pessoas mais importantes da sua vida. Peça perdão, sem orgulho. Aceite o pedido de desculpas. Pois, somos imperfeitos.

É porque o erro faz parte da natureza da vida. E a compaixão também. Faça as pazes antes que não seja mais possível e fique em paz.

Também não deixe nada por dizer. Seja algo que o incomodou ou feriu ou mesmo um eu te amo. Sempre que calar palavras boas para alguém, lembre-se de que pode ser a última vez que você vê essa pessoa.

Não adie sonhos e nem deixe momentos alegres para depois.

Quando sentir preguiça de fazer o melhor por você mesmo ou estar com quem estima, lembre-se de que a vida pode esgotar, a qualquer momento, todas as suas chances de ser feliz.

Aprenda a valorizar os pequenos acontecimentos do dia a dia. Também aproveite as singelas surpresas do destino.

Um por do sol, uma brisa refrescante. O frio debaixo do edredom, um café fresquinho, o sorriso de um filho, o bom humor dos avós. Um doce encontro inesperado ou um bom motivo para gargalhar.

Mas, principalmente, gaste seu tempo com coisas positivas. Sejam palavras ou pensamentos. Atitudes ou afetos. Talvez esta seja a grande lição deixada pelo intérprete do Louro José, Tom Veiga.

Porque se você soubesse que o tempo está acabando, jamais o desperdiçaria com o que fere o seu coração e corrompe a sua alma. Com nada que o faça sofrer.

Portanto, mantenha a vibração da vida a todo instante, porque um dia ela se vai sem aviso nenhum. Ela é trem-bala parceiro e você é só passageiro prestes a partir.

Por isso, não vale jogar fora um dia sequer deprimido. Deixe ir o que passou e olhe para frente, enquanto ainda é possível.

Planeje, sonhe, mas sem apego. Não desperdice seu precioso tempo na ansiedade.

Viva no agora porque o futuro é imprevisível.

Este momento é uma oportunidade do Universo para você se fazer muito bem. Aproveite o presente de Deus.

Converse mais com seus amigos. Ria mais. Viaje mais. Compareça nos domingos em família. Comemore todas as conquistas. Não guarde nenhum “não”, mas diga com amor.

Libere todos os sins que colocam um sorriso no seu rosto, vontade de viver no seu peito. Também aproveite, sem defesas, os momentos de alegria.

Afinal de contas, ontem você ligou a TV para assistir ao programa da Ana Maria Braga e o Louro José não estava mais lá. Hoje pode ser um dos seus.

E amanhã, você.

Por isso, viva cada batida do seu coração como se ela fosse única.

Então, aproveitará, da melhor maneira possível, o maior privilégio que Universo lhe concedeu.

COMENTÁRIOS




Luciano Cazz
Luciano Cazz é formado em Comunicação, também ator e roteirista pela NYFA (New York Film Academy). Além de estudante de Psicanálise. Autor do livro A Tempestade Depois do Arco-íris.