Com certeza, uma família tóxica pode destruir vidas.

“Nunca deixe alguém tirar a felicidade de você. Isso é a coisa mais valiosa do mundo. Estou tão feliz agora, e quando você está feliz você pode vencer qualquer coisa.”

Disse GABRIEL MEDINA depois de ganhar mais uma etapa e se tornar líder do mundial de surf, como uma referência ao afastamento de sua própria família.

Certamente, é triste ver um campeão brigado com a família, mas mais triste é ter uma família que deveria ser apoio incondicional, mas é porto inseguro.

Parentes que desmerecem os seus esforços, as suas conquistas, desvalorizam suas qualidades, desdenham dos seus sonhos e estão sempre atrás de uma desculpa para julgar mal as suas decisões.

Muitas vezes, eles nem sabem tudo que você tem passado, as dificuldades que você enfrenta na vida ou no coração. Nem as feridas que doem e que na maioria das vezes, foram causadas por eles mesmos.

Até que chega uma hora que cansa, e você desiste dos fracassos que eles tanto esperam. Também cansa dos erros que eles lhe incutem e de tudo de ruim que equivocadamente acreditam que você é.

E, às vezes, até torcem para que seja e, assim, sentirem-se melhores com as suas próprias mediocridades.

Provavelmente você pense “imagina, uma família não faz isso”. Mas faz sim.

De fato, há muitas por esse mundo afora criando mentiras sobre seus membros porque são muito pequenos para enxergarem o verdadeiro valor que eles possuem.

Então você se afasta da energia negativa, começa a se reencontrar e acreditar no Eu que você realmente é, deixando para trás a autoestima quebrada por quem deveria tê-la construído.

Desta forma, as coisas mudam. Você se enche de vida, de amor-próprio e voa alto assim como o Medina voou em pleno mar para tirar a nota mais alta de toda a competição. Ele se libertou da sua família tóxica.

Se esse for o seu caso, escolha-se também! Pois, até o PRÍNCIPE HARRY, membro da família mais nobre do mundo, conseguiu se afastar da sua família tóxica.

Assim, mostrou que não há família onde não exista um porto quebrado, um colo frio e que a gente não precisa ficar.

De fato, ele sofreu racismo contra o filho dentro da própria casa, ou melhor, castelo. E, fugindo da depressão, abriu mão de todo luxo real. Escolheu ser feliz. Se Harry fez isso, quem é você então para ficar apegado a sua própria família?

Afastar-se de membros tóxicos da família é essencial para a sua felicidade.

Certamente, o surfista Medina ou o Príncipe Harry não estão completamente felizes. Mas entre ter uma vida incrível longe da família ou fracassar ao lado dela. Eles escolheram a dor que dói menos.

Que sejamos felizes ao lado de quem realmente se importa com os nossos sentimentos.

COMENTÁRIOS




Luciano Cazz
Luciano Cazz é formado em Comunicação, também ator e roteirista pela NYFA (New York Film Academy). Além de estudante de Psicanálise. Autor do livro A Tempestade Depois do Arco-íris.