Os egoístas podem até amar, mas o que move suas vidas são apenas seus próprios interesses. Para esse tipo de pessoa, as vontades alheias são os grandes obstáculos do seu próprio desejo.

Visão umbilical da vida é ponto de vista a partir do próprio eu. Pessoas que só pensam em si, nos seus problemas, nas suas soluções, no seu bem-estar e interesses. Não têm o mínimo de empatia com os outros. Ao lado delas você sempre sairá perdendo, porque sugam tudo o que é possível. Mas, na hora de retribuir, estão muito ocupadas fazendo nada. E não admitem ser incomodadas.

Elas não escolhem ser assim. Realmente existe dentro delas uma dor ao ajudar os outros. Um sofrimento infantil em deixar de fazer por si para fazer pelas pessoas que estimam. Como se, ao serem generosas, estivessem sofrendo uma derrota. É incômodo, irritante e as estressa ajudar ao próximo sem ter alguma vantagem.

Então, elas nunca podem esperar por ninguém. Ficam impacientes, brigam, mas não se incomodam em deixar você esperando por horas. Quando não são elas que lhe atrasam porque sempre têm um desejo egoísta para realizar antes de partir.

Elas se enrolam, inventam o que fazer em cima da hora e você acaba sendo sugado para essa confusão sem se dar conta. São sempre elas que mudam o curso da jornada porque precisam satisfazer mais uma vontade sem se importarem em fazer dez pessoas mudarem seus planos por seus caprichos irrelevantes.

Se um dia alguém nesse perfil resolver lhe fazer um favor, desconfie.

Porque elas nunca dão ponto sem nó. Pode ter certeza que existe uma plano secreto por trás. E, logo ali, mandarão a conta para você pagar o “favor” que lhe fizeram.

Isso se esse favor não for, no fim das contas, benéfico para elas mesmas. Quando for auxiliar esse tipo de gente, não espere por gratidão, uma vez que esta visão umbilical da vida faz com que o tanto de auxílio que você dá a elas seja nada mais do que sua obrigação.

Caso você resolva lhes dizer não, prepare-se ouvir que você só pensa em seus próprios interesses. Inverterão sua própria pobreza de espírito como se estivessem se olhando no espelho. Mas elas sabem manipular muito bem para satisfazerem a si próprias e a pressão é a forma mais utilizada para realizarem suas vontades através dos outros.

Então, você se sente mal em não ajudar. Surge um remorso no seu coração que elas jamais sentiriam.

Pode ser que uma criação cheia de mimos ou sem qualquer regalia lhes incitou somente receber e nunca se doar. Ou, simplesmente, faz genuinamente parte de suas personalidades, como se o ponto de equilíbrio do que é justo estivesse mais perto do umbigo delas do que dos demais.

Assim, todas as causas, vontades e ambições dos egoístas sempre serão muito mais importantes que os sentimentos de qualquer um que estiver no seu caminho. Até mesmo da família. E é exatamente por isso que você sempre estará em desvantagem. Na espera, nos favores, no dinheiro. No carinho, na proteção e no amor. Jamais irão valorizar o que você faz por elas, nem seu tempo, nem seu afeto. E, muitas vezes, ignoram suas dores e decepções.

Por isso, tire essa gente da sua vida, uma a uma. Porque, às vezes, ficar sozinho pode sair muito mais barato para o seu coração. Sem falar na oportunidade aberta para encontrar pessoas que são o oposto disso: generosas. Estas, sim, podem abrir um mundo de felicidade em sua vida.

Já os egoístas jamais serão capazes de contribuir verdadeiramente para a sua felicidade.

Texto original inspirandoluz.com.br. Compartilhe o link à vontade. Utilização dos nossos artigos em sites/portais ou em vídeos e áudios é permitida, desde que com os devidos créditos ao texto e ao nosso site.  Grato pela compreensão. 

COMENTÁRIOS




Luciano Cazz
Luciano Cazz é formado em Comunicação, também ator e roteirista pela NYFA (New York Film Academy). Além de estudante de Psicanálise. Autor do livro A Tempestade Depois do Arco-íris.