Certamente, é muito triste constatar que a autoestima de muitas pessoas esteja baixa nos dias de hoje.

Por exemplo, basta navegar pelas redes sociais, ou mesmo conversar com as pessoas por aí, para percebermos o tanto de gente que se acha menos do que na verdade é.

Seguramente, não é fácil viver em meio a tantos apelos midiáticos tentando nos convencer de que devemos ser mais bonitos, mais fortes, mais batalhadores.

Como também, não é fácil assistir à TV e notar que muitos atores e personalidades são bem sucedidos e, ainda por cima, sarados e com dentes branquíssimos.

E, então, nós, reles mortais espectadores, chegamos à conclusão de que jamais chegaremos perto daquela estática quase perfeita, daqueles dentes reluzentes, daquele luxo ostentado pelos instas da vida.

Batalhamos, às vezes por três jornadas diárias de trabalho e nos fins de semana, para conseguirmos uma qualidade de vida decente.

Não nos sobra tempo para malhar e conversar com amigos. Nem nos sobra grana para viajar.

Por essa razão, talvez o problema primeiro seja a gente focar tão somente no que vê. A gente se preocupa demais com o que está lá fora e acaba se esquecendo do que carregamos dentro do peito.

A gente fica querendo comprar e se encher de quinquilharias, em vez de olhar para dentro e perceber a riqueza de sentimentos que temos em nossos corações.

Você é muito mais do que um corpo, um cabelo, dentes e roupas. Você também é amor, carinho, saudade, gentileza e oração.

A forma como fazemos o outro se sentir é mais importante do que a roupa que usamos ao lado dele.

A maneira como lidamos com o nosso dia a dia é muito mais importante do que o modelo de nosso celular ou de nosso carro, ou mesmo se temos um carro. E isso é autoestima.

Marcaremos as pessoas e suas vidas com as nossas atitudes e palavras e não com nossos objetos materiais.

A gente tem que estar bem, se sentir bem, porque, quando sabemos tudo o que somos, quando gostamos de nós mesmos, o que vem de lá fora tem menos força para nos atingir.

Se você sabe o seu potencial, não será preciso que ninguém mais fique te aplaudindo. Isso é autoestima.

O melhor aplauso que recebemos é o autoconhecimento, quando sabemos quem somos e tudo de bom que podemos espalhar por aí. E também sabemos o que não podemos.

Enfim, precisamos ir além do que os olhos veem, é preciso sentir o que há dentro de si; Também é preciso ser grato e reconhecer o tanto que a vida já ensinou e trouxe de bom.

Obviamente, ninguém é feliz o tempo todo, ninguém está livre de problemas, todos somos batalhadores que vencem um dia de cada vez.

Por isso: Sorria, você fica tão sexy quando sorri com verdade e luz.

Ame-se, você é único e especial assim, desse jeitinho, sem tirar nem por.

COMENTÁRIOS




Marcel Camargo
Um dos escritores mais lidos da internet é graduado em Letras e Mestre em "História, Filosofia e Educação" pela Unicamp/SP, atua como Supervisor de Ensino e como Professor Universitário e de Educação Básica. É apaixonado por leituras, filmes, músicas, chocolate e pela família.