Pai, obviamente, nem toda mãe corresponde àquele ideal formado de carinho e amor incondicional. Da mesma forma, nem todo pai.

Entretanto, independentemente das discordâncias e decepções com a mãe do seu filho, ele jamais deve ser abandonado pelo seu pai, você.

Isto porque um bebê é vítima em qualquer história. Não pediu para nascer, mas precisa ser provido de atenção, afeto e sustento.

Por isso, todo homem deve separar a relação com a mãe da importante e sensível relação paternal com os pequeninos.

Os problemas entre os pais das crianças, não devem chegar até elas. Isso é amar incondicionalmente um filho.

Por isso, evidentemente, um pai não deve punir um filho porque ele acha que a Mãe engravidou de propósito, seja para segurar a relação ou por interesse financeiro.

Primeiro que achar é uma coisa, estar certo é outra. Segundo, nenhuma mulher engravida sozinha, o homem tem responsabilidade porque pode se proteger de uma maneira saudável.

Terceiro, um bebê gerado nestas circunstâncias vai precisar ainda mais da presença do pai.

Desta forma, ignorar a existência de um filho ou sumir da vida dele, não o livra do golpe que acredita ter sofrido, mas o transforma em homem relapso e imaturo.

O que acarretará em prejuízos muito mais graves à saúde mental do filho do que aqueles causados por uma mãe, supostamente, manipuladora.

E se, durante a separação, a mãe usa seus filhos para controlar a situação, é preciso ter jogo de cintura e, principalmente, procurar seus direitos.

Hoje, a tendência é a guarda compartilhada, então, proibir ou dificultar a presença paterna já não tem mais o aval da lei.

Da mesma forma, a justiça não compactua mais com pais e mães levianos, negligentes e interesseiros.

Com certeza não é uma tarefa fácil superar os problemas do casal ou ex casal para manter uma boa relação com os filhos. Porém, é necessário porque a saúde mental dos seus filhos é que está em jogo. E se você os ama, você se importa.

Por isso, é fundamental compreender a fraqueza daquelas mulheres que colocam seus anseios antes dos sentimentos dos filhos.

Talvez, elas sejam capazes de qualquer coisa para atingir um amor que as deixou, sem se preocupar com as consequências que isso possa acarretar na formação de uma criança.

Mas você deve ser um pai responsável e se colocar acima disso. Focar na sua relação com seu filho, blindar o amor de vocês, mesmo que seja apenas em seu coração.

Certamente, não faz diferença se foi apenas uma noite, se não havia amor, se era apenas um caso sem importância ou até uma amante.

Também não importa se você não queria ter filhos, se foi golpe da barriga, ou se a mulher que engravidou leva uma a vida avessa, tem um caráter medonho ou vive colocando a criança contra o pai.

O que quero dizer é que, independente da mãe, um filho necessita da presença e do amor paterno para crescer psiquicamente saudável. E com certeza, é dever de todo homem corresponder a essa demanda.

Sim, uma situação negativa com a mãe pode doer muito no coração do homem. Às vezes, exige uma paciência sobre-humana e maturidade a jato.

Entretanto, o papel de um bom Pai, é sobrepor-se a todas as dificuldades que possam existir no caminho, impostas pela mãe ou não.

E, assim, fazer seu filho se sentir amado dando consistência a tudo que significa e representa a paternidade.

Porque, apesar dos erros ou defeitos da mãe, é a relação com o filho que define o tipo de homem que um Pai é.

Por isso, inegavelmente, punir um filho levado pelo rancor em relação à mãe é uma atitude egoísta e irresponsável. Perder para os obstáculos que atrapalham a relação com seu rebento e abandoná-lo é, sem dúvidas, muita fraqueza.

Grandes homens são referências para seus herdeiros, não só na qualidade do amor que são capazes de dar, como também no exemplo de vida que representam.

Portanto, um pai deve proteger o amor que tem por seu filho. Por que, no fundo, todo homem deseja ver um filho ou uma filha se tornando um ser humano fantástico.

É, assim, criamos adultos incríveis capazes de transformar o mundo em um lugar muito melhor.

E mais grandioso do que sentir o olhar de admiração de um filho, é a gente ter orgulho do pai que foi capaz de ser.

Texto original inspirandoluz.com.br. Compartilhe o link à vontade. Utilização dos nossos artigos em sites/portais ou em vídeos e áudios é permitida, desde que com os devidos créditos ao texto e ao nosso site, de forma clara e visível.  Grato pela compreensão.

COMENTÁRIOS




Inspirando Luz
Ser luz não é sobre brilhar, é sobre iluminar aonde quer que você vá.