Olhe-se no espelho e veja alguém que vale a pena. Porque você vale!

Muitas vezes, você se sente deprimido ou amargurado por não saber o rumo que deve tomar, nem qual o seu papel nessa vida.

São dias em que a melancolia toma conta e a sua vontade de viver some. Então, você olha redor e vê as pessoas felizes, conquistando seus objetivos, enquanto está estagnado em sua angústia.

Admira as qualidades deles, mas não entende nada de bom em si mesmo. E fica insatisfeito com quem é.

A fábula a seguir vai revelar o segredo que você precisa descobrir para sair dessa situação:

A RAINHA SEM ESPELHO

A Rainha, desesperada, chega correndo até o Sábio:

Ó meu Deus! Que vida infeliz! Não alcanço nada do que almejo!

Surpreso, o Sábio exclama:

– O que dizes, minha Rainha?!

Ajude-me, Sábio, por favor, estou quase desistindo de viver.

E por que tamanha angústia?

Sem conseguir segurar seu pranto, a Rainha desabafa:

Primeiramente, fui até o mar e avistei o mágico balé dos golfinhos. Fiquei admirada, mas um minuto embaixo d’água e morro afogada. Depois, fui até o alto de uma árvore e pude ouvir o sensível canto de lindos pássaros coloridos, entretanto, minha voz é um zumbido.

Do mesmo modo, quando avistei aqueles animais correndo livres pelo campo, percebi que minhas pernas não são suficientes. Inclusive, até no galinheiro eu fui. Chorei tão logo vi aqueles ovos enormes que jamais serei capaz de colocar.

Minha cara, acredite na perfeição do Universo.

Perfeição, Sábio? Sou muito limitada.

Assim como todos nesse mundo. Tenha certeza, foi feita do jeito que tinha de ser.

Mas sempre alguém é melhor!

Esse olhar sobre o outro a desvia do seu caminho, distrai seu aprimoramento e desperdiça seu tempo de vida. Entenda que as qualidades dos outros não anulam as suas. Elas podem ser simultâneas.

Ainda assim, meu coração se parte em cada fracasso.

Vença a si mesma e terás o melhor de si.

Sofrida, a Rainha reclama:

Além disso, nem a inteligência de um macaco eu tenho para entender seus sábios conselhos.

O Sábio, então, pega um espelho e coloca na frente da Rainha.

Vês um golfinho?

Não. Responde a Rainha.

Um pássaro, um leão, uma galinha, um macaco?

Também não.

Diga-me: o que vês?

A Rainha olha-se no espelho e responde:

Uma abelha. Sou uma abelha…

Siga seu próprio caminho e, assim, desfrutará de sua doce majestade, pois a felicidade não é o que acontece lá fora, mas dentro de você. Desfrute-a. E quando voltar a se perder do seu real valor, olhe-se no espelho e diga a si mesma:

“Eu me amo e sou capaz de conquistar todos os sonhos que carrego em meu coração.”

Afinal, você é, sim.

E do pranto encerrado da Abelha Rainha, o Sábio viu nascer um sorriso.

Chega de olhar para fora. Tudo que precisa para ser feliz, já está dentro de você.

Pare de se comparar, de se perder no jardim do outro. Sim, ele parece mais bonito, de longe, porque não conseguimos enxergar as raízes daninhas, os buracos e as falhas.

E ter autoestima é isso. Olhar o outro do mesmo nível. Nem mais baixo nem superior.

Não invejar nem se sentir pior pelas qualidades e sucessos dos outros. Como também, não se sentir feliz com o fracasso alheio. Muito antes pelo contrário, ficar feliz por tudo aquilo que alguém é capaz de conquistar mesmo que você não seja.

Por isso, use seu tempo de vida para plantar suas flores. Regue suas plantas. Embeleze seu jardim.  Uma vez que é nele que você pode e será feliz.

Ou seja, ame-se!

Você é muito mais que suficiente exatamente do jeitinho que é.

Texto original inspirandoluz.com.br. Compartilhe o link à vontade. Utilização dos nossos artigos em sites/portais ou em vídeos e áudios é permitida, desde que com os devidos créditos ao texto e ao nosso site, de forma clara e visível.  Grato pela compreensão. 

COMENTÁRIOS




Luciano Cazz
Luciano Cazz é formado em Comunicação, também ator e roteirista pela NYFA (New York Film Academy). Além de estudante de Psicanálise. Autor do livro A Tempestade Depois do Arco-íris.