O grande mistério da vida e da morte é um segredo alcançável apenas pelas almas, cuja a maioria das missões de altruísmo foram trabalhosamente concluídas no passar dos séculos. Essas pessoas estão a 2 ou 3 níveis acima da civilização do nosso planeta, em termos de evolução.

São almas tomadas pela bondade onde não há nenhum espaço para o ódio e rancor ou qualquer resquício de amargura e infelicidade. Almas que já não são mais aptas a encarnarem na matéria por tão elevadas que são. E, entre esses espíritos, estão aqueles raros que tiveram o privilégio raro e divino de verem Deus, e o entenderam.

O limite de nossa inteligência e bondade nos deixa muito aquém desse encontro.

Somos seres dando os primeiros passos no amor de Deus.

E em um mundo com tantos sentimentos negativos, ninguém jamais entenderia ou, de fato, encontrariam Deus. O Planeta Terra é regido pela lei natural Dele e guiado por anjos ou mentores. Embora Sua criação, ainda somos incapazes de entender o Seu significado. Não só pela máxima elevação do Criador do Universo, da qual ainda não somos merecedores do entendimento, mas pela deficiência da racionalidade humana em compreender o verdadeiro conceito de Deus.

Pode ser difícil de admitir, porém, é algo que foge a nossa realidade e que nossa cabeça ainda não está qualificada para compreender e aceitar. Da mesma forma os conceitos do infinito e a incerteza da origem do Universo.

Querer entender Deus é como um cachorro desejar entender o mundo dos homens.

É preciso muita humildade para reconhecer essa limitação humana, pois, nós seres humanos não temos toda sabedoria sobre a real verdade de Deus. Não temos acesso ao Seu mundo. Por isso, tantas guerras e discussões entre as crenças. Exatamente, por esta incerteza, pois se tivéssemos o conhecimento certeiro sobre o que de fato acontece no céu, haveria apenas uma verdade sabida por todos e nenhuma razão para tantos conflitos e discussões.

É como você perder um capítulo da novela e querer saber o que aconteceu. No caso de Deus, ninguém tem uma TV capaz de transmitir esse misterioso capítulo. Então, a pessoa consciente de sua ignorância perante as incógnitas de Deus é uma pessoa de alma elevada, pela sincera modéstia em aceitar o desconhecido no lugar da arrogância de se achar o dono da verdade sobre o divino, o que ninguém sabe como, de fato, se dá.

Ser humilde perante Deus é entender que Ele é muito maior que a nossa inteligência.

Conhecemos muito pouco sobre os mistérios do Universo. o somos nós que determinamos quem entra no céu ou não. Nem somos os juízes que decidem sobre os atos do próximo ou seu merecimento no amor de Deus. Até sabemos que o caminho a se seguir é o do bem, do altruísmo, da aceitação das diferenças e que nossas ações são as sementes que frutificam nossa alma.

Entretanto, não nos compete compreender além disso, apenas dar o melhor de nós mesmos para viver em paz e levar paz, porque, simplesmente, não sabemos ao certo o verdadeiro sentido da vida, ele vai muito além da nossa racionalidade humana.

A única certeza que podemos ter é de que nossa existência é fundamentada em algo muito maior do que nossas dúvidas e, até mesmo, do que nossas certezas.

Portanto, esse é o nosso grande desafio de fé: colocar o amor antes da pretensão de saber a verdade e deixar nossa vida nas mãos de Alguém que, de fato, jamais fomos apresentados, mas é Aquele a quem devotamos toda gratidão por ter nos dado a vida: Deus.

Acreditar verdadeiramente em Deus é não saber quem Ele é.

Texto original inspirandoluz.com.br. Compartilhe o link à vontade. Utilização dos nossos artigos em sites/portais ou em vídeos e áudios é permitida, desde que com os devidos créditos ao texto e ao nosso site, de forma clara e visível.  Grato pela compreensão. 

COMENTÁRIOS




Luciano Cazz
Luciano Cazz é formado em Comunicação, também ator e roteirista pela NYFA (New York Film Academy). Além de estudante de Psicanálise. Autor do livro A Tempestade Depois do Arco-íris.